Sexta, 05 Junho 2015 00:00

1ª Sexta-feira de junho: Dedicada ao Coração do Senhor

Aquele que cura nossas feridas

 

           Espetáculo dolorido de ser contemplado é aquele em que temos diante de nossos olhos pessoas com graves ferimentos: um assaltante com arma branca ou de fogo  abre o corpo do assaltado  expondo suas vísceras no combate das guerras  vemos corpos quase dilacerados feitos uma só ferida.  Temos sempre diante de nossos olhos a delicada parábola do bom samaritano contada por Jesus.  Um homem jogado à beira do caminho.  O samaritano passa, coloca o homem ferido em sua montaria,  deita óleo em suas chagas, conduz o quase moribundo até uma hospedaria.  É profundamente tocado pelas feridas e abandono do homem  que tinha caído nas mãos de assaltantes.  Mostra humanidade e bondade.

 

            Conhecemos nossas feridas. Há, é claro, a fragilidade de nosso corpo.  Há também essas feridas  do interior:  negação do amor, o voltar os olhos em direção oposta ao amor e ao dom de nós mesmos, essa  insistência em  buscar nossos interesses em detrimento do outro e do outros.  Nosso pecado, nossa omissão.  Somos fragilidade. Conhecemos feridas interiores

 

            Jesus é o  samaritano que se dobra e nos olha e nos leva até a hospedaria para descansarmos.  Ele nos mostra suas feridas e chagas, sinais patentes de seu amor benevolente.  Suas feridas nos curam. Conduz-nos até a hospedaria de sua intimidade, de seu coração.  Hoje nos mostra suas chagas preciosas tais quais rubis.  Há, sobretudo, a chaga do coração que é a porta da hospedaria de seu amor.  Ali nos refugiamos e confiantes levantamos de nossas quedas.

 

 Frei Almir Ribeiro Guimarães

Ler 750 vezes
© 2016 - Ordem Franciscana Secular do Brasil.
Rua Adro de São Francisco, s/n, Saúde,
Zona Portuária, Rio de Janeiro – RJ
CEP 20081-290 - Fone: 55 (21) 2240-4565
Email: ofsbr@terra.com.br