Quarta, 13 Mai 2020 20:16

Vigília internacional recordará os mortos de Aids 

A epidemia da Aids é uma realidade desde a década de 1980. Muitas pessoas, organizações e setores da sociedade empenham esforços, há anos, com a finalidade de contribuir na luta contra a epidemia. Para dar visibilidade a essa causa, a Pastoral da Aids promoverá, no próximo domingo, 17 de maio, às 18:00 horas, a 37.ª Vigília pelos mortos de Aids, com o tema “No brilho da luz, fortalecer a esperança”. 

A vigília pelos mortos de Aids é um movimento internacional que, desde 1983, faz memória das pessoas falecidas com HIV e se envolve no enfrentamento da epidemia. Anualmente, o evento é realizado no terceiro domingo de maio, sob a liderança de organizações sociais e religiosas de centenas de países. Este ano deseja-se mobilizar comunidades de todo o mundo para apoiar o futuro das pessoas que vivem com HIV.

Para Dom José Francisco Rezende Dias, Arcebispo Metropolitano de Niterói e referencial da Pastoral da AIDS no Regional Leste I, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a vigília é uma oportunidade de fazer memória das vítimas da doença e manifestar a solidariedade da Igreja com os doentes e suas famílias, reforçando a luta contra o preconceito e a discriminação e para garantir acesso ao diagnóstico precoce e tratamento da doença:

"Fazer memória e rezar pelas pessoas que fizeram parte de nossa história e faleceram com Aids manifesta solidariedade às famílias que perderam seus entes busca transformar essa memória em esperança e fortalece o compromisso de vencer a epidemia. Cuidar do presente significa defender os direitos das pessoas com HIV, lutar contra o preconceito e a discriminação, garantir acesso ao diagnóstico e ao tratamento, incentivar o diagnóstico precoce para o HIV" - afirmou. 

Segundo relatório divulgado pelo Ministério da Saúde, em novembro de 2019, 900 mil pessoas vivem com HIV/Aids no Brasil. De acordo com dados apresentados, dos 900 mil brasileiros com HIV, 766 mil foram diagnosticados, 594 mil fazem tratamento antirretroviral e 554 mil não transmitem o HIV. Somente em 2018, foram notificados 43,9 mil novos casos.

Os dados revelam ainda que mais de 135 mil pessoas vivem com HIV no país e não sabem, pois nunca fizeram o teste. Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, observar uma epidemia, principalmente em homens jovens, na faixa etária de 25 a 39 anos.

A Pastoral da Aids é um serviço ligado à Igreja Católica que busca promover a vida saudável, incentivar o cuidado de si e dos outros, evangelizar, humanizar relações e superar preconceitos, discriminação e exclusão. Segue, abaixo, o cartaz e o roteiro para a celebração em família.

Ler 331 vezes
© 2016 - Ordem Franciscana Secular do Brasil.
Rua Adro de São Francisco, s/n, Saúde,
Zona Portuária, Rio de Janeiro – RJ
CEP 20081-290 - Fone: 55 (21) 2240-4565
Email: ofsbr@terra.com.br